Viagem

Um pedaço de ninguém, pagando por emoção
me entrego em teus braços, mas encontro a solidão.
brilhe como o sol ou caia no esquecimento.
Uma dose de alucinógenos para afugentar os maus pensamentos.
Uma breve passagem, nessa viagem ninguém permanece.
Meus passos pela noite em poucos sorrisos, na aurora se esvanece.
Um pouco de você pra me embriagar, antes dessa noite ter fim
Logo volto para os espinhos em meu jardim.
Espero pela manhã em que nunca mais irei acordar,
para que nos mais belos sonhos possa me encontrar.

Detalhes

Me perco em tantos pensamentos, reflito um desconhecido agora, que antes foi meu amado.
Me prendo em questões que me fazem querer se esconder, parece que as trevas tem
atravessado a linha que separa a luz da escuridão.
Venho atravessando o perigo, que vem cantando no fim do caminho, pra ter cuidado em não atravessar a linha que separa os limites.
Mas não adianta fugir, seus medos estarão sempre dentro de você e aquilo que você mais teme vai cruzar ora ou outra em alguma esquina de cara com você.
Enquanto isso as pessoas só querem que suas vidas sejam encenadas numa bela fábula ou cantadas numa bonita melodia, mas o peso da rotina dos detalhes e olhares voltados pra todos os lados impedem de se de ver o deslumbre que é viver.

Sozinho no Mundo

De dentro pra fora, de fora pra dentro, vejo que estamos sempre tentando nos esconder
daquilo que somos, de nós mesmos, da provação de outro alguém.
Eu amo a vida, por amor aqueles que aqui tenho, temo a morte por deixar de existir e não
ter mais aqueles que amo, mas será que vale a pena sentir toda essa dor, por apenas existir,
similo amor a dor, mas será que amor é dor? Nos filmes não se passam os detalhes que percorremos
até aquele momento chave, porém na vida real vivemos mais os detalhes do que aquele momento tão esperado,
talvez porque passamos a vida toda buscando, mas por mais que buscamos, nosso corpo sempre
será limitado para aguentar a intensidade total dessa emoção que sonhamos em sentir.
Mas agora nada mais parece importar,vejo pessoas correndo na mesma
direção, mas estou na contra mão, tentando buscar sentido nisso tudo e o que encontro
é uma corrida contra o tempo pra se viver uma ilusão onde a felicidade é o pecado
mais caro, a negação de desejos a conquista pela dignidade e a humilhação a revolta
daqueles que um dia serão exaltados, e tudo isso para se conformar que não existe nada além de nós mesmos
e nossa complexidade de pensamentos.

Tormenta

Antes eram palavras de amor, que agora se tornaram  palavras de dor..
eu choro diante da violência de seua olhos..
eu choro diante da violência de sua palavras..
eu choro diante da violência de seus gestos..
eu choro diante de seus pedidos de desculpas..
eu choro diante de minha ausência…
eu choro diante de minha castração..
eu choro diante minha prostração..
eu grito, inerte, pra ninguém ouvir meus pedidos de socorro..
sou apenas uma menina sozinha perdida na violência de quem um dia sonhou em amar.
sou apenas uma menina esquecida na tormenta de um mundo onde dia sonhou em viver e não lutar cada segunda pra sobreviver.

Apocalipse

O fim acontece o tempo todo,todos dias, a cada instante, pra todos
Ora ou outra iremos nos deparar com o fim de nossos dias, o fim dos dias
de quem amamos, o adeus que não esperamos.
Logo o que era imperdoável se torna passado, os julgamentos já deixam de pesar,
sonhos deixam de se almejar, amores de se lembrar, fica tudo desconhecido, o que antes
parecia eterno, pra sempre, passa agora ser temido pelo inevitável.
No fim da viagem deixaremos tudo e todos, à espera de uma luz no fim de nossa última despedida.

Fantasias

Ando nas multidões a procurar pelas asas que me fará voar,
Ando nas calçadas a buscar o fogo que irá acender o meu juízo final,
Ando nos bosques a buscar o portal que irá me levar para mundo de fantasias nas noites de luar,
Nos dias de frio me resguardo, mas nos dias de calor me suicido,
Ando tão nem aí que as vezes é melhor morrer do que matar,
Ando tão nem aí que as vezes falo o que nem quero pensar,
Ando tão nem aí que me afogo no impulso,
outra hora reflito, no momento seguinte já me esqueci do se foi arrependido.
Ando com os pensamentos longe, a procurar a liberdade que só  o ‘nada’ pode dar

Mundo sem Formas

A sociedade te vende prazer e você paga com medos, medos de como vão te julgar por você não ter dinheiro pra comprar mais  prazer e no final se pagar com mais medos.
Eu beiro entre o mundo sem formas e sensações, por onde seguir, ainda vou me decidir.
Meu corpo habita no mundo “real”, minha mente se perdeu na colisão dos julgamentos e vai de encontro a liberdade da dor.
Meus devaneios habitam nas canções e agora nada precisa fazer mais sentido.
São apenas formas que vão me levando ao um infinito de ilusões.
Abri a porta que vai direto ao mundo de Alice, mas parei de lutar e me deixei vencer pelas fantasias que mais desejei, os segredos que mais guardei e os medos que mais temi, e vi que tudo são moinhos de vento vestidos de gigantescos monstros, então me entreguei ao absoluto nada e como o vento deixei de existir e passei apenas a sentir, num mundo sem formas.

 

O Eu

Deus se viu tão sozinho com sua essência e fez o homem, que por consequência se viu tão sozinho com a natureza, e agora tanto Deus, quanto o homem se vêem tão perdidos com suas tantas coisas, que estão a procura de si mesmos, e para isso é preciso voltar a sua origem, a morte, mas primeiro precisamos interligar todas essas tantas coisas e torná-las uma só, renascer do princípio, várias e várias vezes, muitas num loop infinito, até quebrar as linhas temporais e torná-las uma só.

Diamantes de Vidro

Você é como uma canção que ninguém canta;
Um sonho que ninguém sonha;
A loucura rasgada na realidade;
A escuridão que habita na luz.
Toda a emoção que me faz respirar e o medo que fez
eu me perder;
O mito que eu criei, no dia que minhas lágrimas previam sua
chegada.
Uma estrada em ruínas, rumo ao nascer do sol.
E o dia em que te toquei pela primeira vez, minha pele
virou fogo e a sentença em meu destino se cumpriu.
A fina névoa da madrugada encobriu meus sonhos e não pude te fazer real.
E agora te procuro na alvura da lua, sem a esperança de um dia os teus olhos olhar com ternura.

Nessa Vida

Nessa vida o céu não se abriu pra mim,
com seus cosmos estrelados e seus amores latentes.
Nessa vida o sol não nasceu pra mim, com seus raios esplendorosos e sua alegria incandescente.
Nessa vida a lua não anoiteceu pra mim, com sua alvura esplendida e sua beleza fascinante.
Nessa vida os pássaros não cantaram para mim, com sua melodia no vento e seu voo em liberdade
E nessa vida os sonhos não se fizeram para mim, os meus amores não venceram no fim e vi minha
juventude se apartar de mim.